"Quem disse que o amor era cego?
É o único a ver bem: descobre as belezas onde os outros nada vêem.
O olhar que ama é sempre um olhar estupefacto.
(André Frossard, Deus existe).
Então ouviram a voz do Senhor Deus que passeava pelo jardim à brisa da tarde (Gen. 3, 8).