Nesta obra são analisadas as ambivalências do digital, a dimensão algorítmica como lógica de exclusão no novo paradigma, obstáculo para as novas convergências e as dinâmicas sociais autónomas, e também como uma espécie de censura invisível que modela o novo sistema, a sua abertura e democratização.