"Em "Olhos de espanto", Nina pensa filo­soficamente nossa condição inata de produtores de reflexões e questiona­mentos. Afinal, como Platão — o mestre maior da filosofia — já reconhecera, nos idos da Grécia Antiga, uma vida não questionada não merece ser vivida. Olhos de espanto é o fruto de uma coletânea de poemas que questio­nam certezas, observam um mundo tão complexo com a ingenuidade e leveza da infância, um livro que bus­ca o sentimento esquecido de nossos desejos mais puros, e que resgata em cada um de nós essa capacidade de nos emocionarmos de novo. "