A alimentação é um dos fatores que mais interfere na saúde e bem-estar, uma vez que é ela a responsável pelo fornecimento de todas as substâncias necessárias ao normal funcionamento do organismo. No entanto, não basta simplesmente fornecer estas substâncias (nutrientes) ao organismo a quantidade em que são consumidas as proteínas, hidratos de carbono, gorduras, vitaminas, sais minerais, fibra e água, são importantes. Tem de existir uma adequação em termos de quantidade e qualidade de alimentos, ingeridos por cada indivíduo. Seja qual for o nosso regime alimentar, mesmo que o tenha herdado dos seus pais, habitue-se a questioná-lo e certifique-se que é o que melhor se adapta a si e à sua saúde. A escolha do que comemos é, e deve ser, totalmente pessoal e consciente. Respeitando estas premissas e recolhendo toda a informação necessária poderá levar a cabo qualquer regime alimentar de forma saudável, agradável e segura. Isto aplica-se também ao regime vegetariano.
A decisão de se tornar vegetariano ocorre, nos dias de hoje, cada vez com maior frequência e facilidade (com a crescente oferta de lojas, supermercados e restaurantes que comercializam e trabalham com produtos vegetarianos), pelas mais variadíssimas razões (de saúde, éticas, ecológicas).