Há dias em que nos apetece esvaziar de nós mesmos. Das coisas marcadas na pele e na alma pelo tempo, por vezes com tantas lágrimas e tanta dor, também pela alegria, pelos sorrisos. Dos pedaços de nós que fomos guardando e que por vezes não temos mais espaço para eles, porque nos ferem.
Tenho vivido uma experiência fantástica. Decidi passar para a escrita esses momentos. São estados espírito, momentos de reflexão, momentos que perceciono, estados d’alma… assim tenho a oportunidade de partilhar (parte) desses momentos com queira ler e até se identifique. Sinto-me um descobridor. Quando tive a certeza que ao fazer isto me sinto melhor.