Lado lunar é uma coletânea de reflexões sobre a vida em várias das suas componentes. A morte, o amor singrado e o amor perdido, a idade, a solidão, a conquista, a perda, a luta, e a derrota, são temas abordados pelas personagens de cada história, que conduzem, de certa forma, a conclusões sobre a vida de quem as lê.
O espaço por excelência é o Porto, ao longo das várias estações do ano, e o tempo é incerto: as histórias passam-se hoje, mas podiam passar-se há dez anos atrás, ou daqui a dez anos, com mais ou menos tecnologia.
Há finais que são felizes, há finais que nem por isso e há finais indefinidos, tal como na vida, onde o choro e o riso funcionam como o pé esquerdo e o pé direito.
Lado lunar tanto pode fazer o leitor almejar por algo melhor, não se conformando com o que tem, como pode funcionar como um medidor de felicidade. Numa perspetiva negativa ou positiva. Porque, no fundo, a única coisa que todos queremos em comum, tomando melhores ou piores decisões, é sermos felizes.