A violência verbal pode ser tão sutil que às vezes nem percebemos que somos alvo de um agressor. A tristeza, o incômodo e o mal-estar nos fazem sentir que há algo errado, mas acabamos achando que a culpa é nossa.As agressões podem se apresentar de diversas formas: menosprezo ou ataque de raiva, indiferença ou demonstração de superioridade, sarcasmo ou distanciamento, coerção manipulativa ou exigência irracional.Afirmações como "Você está gorda", "Você nunca entende nada", "Não pedi sua opinião" e "Você só fala besteira" são exemplos de utilização das palavras como armas – e, em geral, são bastante ouvidas pelas vítimas de abuso. O primeiro passo para se libertar dessa situação é se conscientizar de que você não merece ouvir isso.Portanto, atenção: se você se relaciona com alguém que costuma fazer comentários ofensivos a seu respeito, mas alega que está brincando, você está com um agressor. Se essa pessoa não se dispõe a escutar seus sentimentos e o trata como inferior, você está sendo vítima de agressão.Esse livro foi o primeiro a descrever os relacionamentos com violência verbal, ainda na década de 1990. Desde então, milhares de pessoas que sofriam caladas puderam reconhecer que a angústia a que eram submetidas não era "normal", e sim um reflexo de um comportamento abusivo que deve ser enfrentado e combatido.Apresentando histórias reais, estratégias objetivas e questionários de autoavaliação, Patricia Evans traz informações essenciais para ajudar você a enfrentar o agressor de forma segura e a proteger sua família dos efeitos negativos desses relacionamentos problemáticos."Um livro extraordinário." – Newsweek