Unir e estudar três conceitos em uma só pesquisa. Infância, homoafetividade e literatura são temas muito pouco ou quase nada explorados conjuntamente nos estudos acadêmicos literários, o que torna este livro um projeto ousado. Além da análise em si, o projeto se propõe a iniciar um inventário de textos da literatura brasileira dirigidos ao leitor adulto, que tenham, em seus enredos, personagens infantis do sexo masculino envolvidos em contextos que sinalizam o desejo homoafetivo. A partir de O Ateneu (1888), de Raul Pompéia, foi possível encontrar uma dezena de contos e fragmentos de romances/novelas com a temática da homoafetividade na infância. Ao final desta obra, esse corpus foi dividido em quatro fragmentos de romances cujos enredos, ainda que não tenham como central o tema da homoafetividade infantil, abordam a questão de forma a estimular a busca por entender como o assunto é processado nas narrativas. São eles: O Ateneu Capitães da areia (1937), de Jorge Amado Dona Sinhá e o filho padre (1964), de Gilberto Freyre e Limite branco (1970), de Caio Fernando Abreu. A análise foi realizada com base, principalmente, nas concepções de Michel Foucault sobre o poder disciplinador.